FANDOM


O Sistema Storyteller é o conjunto de regras publicado pela White Wolf para uso nos RPGs do Mundo das Trevas Clássico e, mais tarde, no Street Fighter RPG. Uma versão modificada deste sistema, o Sistema Storyteller Revisado, foi introduzida para os jogos da Universo Trinity (Trinity, Aberrant e Adventure!]); alterações desta versão do sistema informaram as revisões subsequentes do Sistema Storyteller, bem como as adaptações do Sistema Storyteller utilizados em Exalted e Scion. O "Novo" Mundo das Trevas (agora conhecido como o Crônicas das Trevas) mais tarde introduziu sua própria variação no sistema: o Sistema Storytelling.

O sistema de resolução de tarefa central no Sistema Storyteller é um sistema de Parada de Dados, que usa apenas dados de dez lados (D10s) para resolver conflitos. As Características de Personagem chave no Sistema Storyteller são os nove Atributos básicos, um número maior e mais detalhado de Habilidades (que geralmente são divididos em três categorias), e Vantagens adicionais, como Nível de Vitalidade, pontuação de Força de Vontade, Antecedentes, Qualidades e Defeitos opcionais e em alguns jogos, arquétipos para representar a personalidade do personagem.

SistemaEditar

As ações são resolvidas no Sistema Storyteller rolando uma Parada de Dados de dados de dez lados, com o número de dados determinados por uma ou mais Características de um personagem. Cada ação tem um número que cada dado deve atingir; esse número é chamado de Dificuldade (nos jogos Mundo das Trevas e Street Fighter) ou Número Alvo (no Sistema Storyteller Revisado).Este número é geralmente 7, embora alguns jogos do Mundo das Trevas, usem uma dificuldade básica inicial de 6. Qualquer dado que mostre esse número ou maior é contado como Sucessos; em algumas versões, cada dado que mostre um resultado de 1 realmente "subtrai" um sucesso. Quanto mais sucessos, mais favorável é o resultado. Um sucesso é suficiente para tarefas básicas, enquanto mais sucessos podem ser necessários para tarefas difíceis ou tarefas executadas em condições difíceis; no Sistema Storyteller Revisado, a Dificuldade de uma ação refere-se ao número de sucessos necessários para realizar essa ação. Existem regras adicionais (muitas vezes opcionais) para ações mais complicadas, incluindo disputas entre dois ou mais personagens, tarefas que podem exigir um período de tempo prolongado, e falhas criticas ou falhas com conseqüências desastrosas.

Além da resolução básica de ação, outra mecânica básica diz respeito ao gasto de pontos. Algumas características, como Força de Vontade, têm "pontos" temporários e uma classificação permanente. Esses pontos podem ser gastos para obter vários benefícios, dependendo de sua natureza; alguns podem ser usados para ativar ações específicas, curar ferimentos ou aumentar ações normais. Tipos de personagens capazes de habilidade sobrenatural ou paranormal normalmente possuem uma característica que representa sua fonte de poder sobrenatural, como Pontos de Sangue para vampiros, Quantum para Novas ou Essência para Exaltados. Tais pontos podem ser recuperados de maneiras diferentes.

A Vitalidade de um personagem é monitorada pelo Nível de Vitalidade. Quando um personagem sofre Ferimentos, estes são marcados nas caixas de Nível de Vitalidade em ordem sequencial. Os primeiros níveis de vitalidade representam danos menores, enquanto os posteriores indicam ferimentos graves que debilitam, incapacitam ou até mesmo matam o personagem. Além disso, existem três tipos diferentes de Danos, que determinam quanto tempo um ferimento demora para cicatrizar e o efeito que uma ferimento final tem em um personagem (ou seja, inconsciência, Torpor, morte etc.). A maioria dos tipos de personagens tem sete níveis de vitalidade, embora personagens excepcionais como Novas e Exaltados possam ter mais.

HistoriaEditar

O Sistema Storyteller tem sido usado predominantemente no Mundo das Trevas e no Street Fighter: O Jogo de RPG. Uma versão atualizada, o Sistema Storyteller Revisado, é usado no Universo Trinity, Exalted e Scion.

Primeira EdiçãoEditar

A primeira edição do Sistema Storyteller foi introduzido em 1991 no Vampiro: a Mascara Primeira Edição[1], o primeiro jogo da linha de jogo de Mundo das Trevas Clássico. Qualidades e Defeitos foram introduzidos pouco depois no Vampiro: Guia dos Jogadores Primeira Edição [2] . Como a primeira edição de Vampiro foi sucedida pela segunda rapidamente, a primeira edição tem poucas distinções para distingui-la da segunda edição; a maior parte das mudanças entre as duas primeiras edições foram feitas na apresentação e formatação, com apenas pequenas atualizações para corrigir erros de fato no texto nas regras.

Segunda EdiçãoEditar

Após a tiragem inicial dos jogos do Mundo das Trevas, especialmente pela rapidez com que saíram, ficou óbvio que uma revisão era necessária. Vampiro: A Máscara Segunda Edição[3] foi lançado em 1992, pouco mais de um ano após a primeira edição do jogo. Isto coloca seu lançamento entre as primeiras edições de Lobisomem: O Apocalipse e Mago: A Ascensão. Da mesma forma, cada um dos cinco jogos originais do Mundo das Trevas (Vampiro, Lobisomem, Mago, Aparição e Changeling tiveram suas próprias segundas edições dois anos depois de seu original lançamento. Em cada caso, o livro de regras original era um lançamento de capa mole enquanto a segunda edição era capa dura.

Lobisomem: O Apocalipse Segunda Edição[4],Mago: A Ascensão Segunda Edição[5],Aparição: O Esquecimento Segunda Edição[6] , e Changeling: O Sonhar Segunda Edição[7] . Com o lançamento de Changeling em 1997, a tiragem inicialmente imaginada dos cinco livros centrais de jogos no Mundo das Trevas estava completa. Todas as Linhas subsequentes foram adicionadas depois, durante a era do revisado. Infelizmente, devido a vendas baixas, Aparição e Changeling nunca foram atualizados, e sua Segunda Edição foram as mais atuais até seus relançamentos de 20º Aniversário. No Brasil, das 5 linhas centrais, apenas Aparição nunca teve nenhuma edição lançada.

A era da Segunda Edição também viu o lançamento de Vampiro:A Idade das Trevas, bem como o lançamento do jogo não-Mundo das Trevas Trinity (usando o Sistema Storyteller Revisado), que provocou algumas das decisões de design que entraram na edição revisada mais tarde.

Sistema Storyteller RevisadoEditar

O Sistema Storyteller Revisado viu a luz pela primeira vez em 1997 com a publicação de Trinity. Ele foi aperfeiçoado para Aberrant em 1999 e de novo para a aventura! em 2001]]. Destes, a aventura! A encarnação é indiscutivelmente a mais distinta, em grande parte devido à sua mecânica [editora dramática].Exalted Primeira Edição[8] também foi lançado em 2001, e usou sua própria variante particular do Sistema Storyteller Revisado. Isso foi reformulado novamente, incluindo uma importante reescrita das regras de combate, para Exalted Segunda Edição[9] em 2006 e novamente para uma Exalted Terceira Edição[10] em 2010s.

variações significativas do Sistema Storyteller original incluem:

  • a diferenciação de danos em tipos diferentes: Contusão, Letal e Agravado
  • regras melhoradas para falhas críticas, tornando-as menos prováveis para personagens mais experientes
  • um Número Alvo fixo para todos os testes
  • Dificuldade representada pelo número de Sucessos requeridos, em vez de um número alvo variável
  • a remoção das categorias em Habilidades: Talentos, Habilidades e Conhecimentos (embora Exalted use as categorias Castas (ou equivalente) para Habilidades)
  • Emparelhamento padrão de Habilidades com Atributos

Muitas das inovações do Sistema Storyteller Revisado, mais notavelmente o dano atualizado e regras de falha critica, foram incorporadas de volta para o Sistema Storyteller original com as edições revisadas e suas revisões posteriores.

Muitos dos melhores elementos de ambos, do Sistema Storyteller base e do Sistema Storyteller Revisado, foram misturados para criar o Sistema Storytelling utilizado para as Crônicas das Trevas (o "Novo" Mundo das Trevas). Por exemplo, o Sistema Storytelling usa números alvo fixo e dificuldade com base em sucessos necessários, e classifica Habilidades como mental, física ou social em vez de talentos, habilidades ou conhecimentos. Elementos desse sistema foram combinados com a versão do Sistema Storyteller Revisado conforme implementado no Exalted Segunda Edição em Scion.

Edição RevisadaEditar

Às vezes chamada de "Segunda Edição Revisada", mas mais frequentemente considerada a Terceira Edição, a Edição Revisada era uma tentativa ampla de limpar, padronizar e consolidar não apenas as regras dos jogos do Mundo das Trevas, mas também os metaplot e várias pontas soltas. Ela integra um grande número de mudanças de regras, muitas do Sistema Storyteller Revisado, embora várias características chave - Número Alvo variável, categorias de Habilidade, etc - permaneceram para fazer uma distinção entre os dois sistemas.

A edição revisada foi usada para as edições finais dos jogos do Mundo das Trevas, começando com Vampiro: A Máscara Edição Revisada[11] em 1998. Seguiram [12] eMago: A Ascensão Edição Revisada [13] , e o sistema Revisado também foi usado para Caçador: A Revanche, Mumia: A Ressurreição,Demônio: A Queda, a nova linha de Idade das Trevas , Era Vitoriana: Vampiro e - em formato ainda mais modificado - Orpheus. Jogos de baixa venda como "Changeling: O Sonhar", "Aparição: O Esquecimento" e outras configurações históricas não receberam edições Revisadas; livros publicados para estas linhas após 1998 raramente fazem referência explícita às novas regras, mas conversões para alguns, mais notavelmente Vampiros do Oriente, foram incluídas no Vampiro: Manual do Narrador Revisado[14] .

Assim como Vampiro: A Idade das Trevas informou a criação da Edição Revisada, a versão da era-Revisada (3ª edição) da Ambientação, Idade das Trevas: Vampiro desenvolveu o sistema. Muitas de suas regras específicas (por exemplo, a funcionalidade de certas Disciplinas) são consideradas a melhor encarnação delas em todas as versões que apareceram ao longo dos anos.

Edição de 20º AniversárioEditar

Depois de um hiato de sete anos entre o fim da publicação do material do MdT Classico (e os impressionantes 13 anos desde o lançamento da edição anterior do livro de regras), a White Wolf tomou a decisão de lançar de um novo livro de regras deluxe em tiragem limitada de Vampiro para celebrar o 20º aniversário do jogo em 2011, o Vampiro: A Máscara Edição do 20º Aniversário[15], ou "V20". O conteúdo evocaria a sensação da Segunda Edição do jogo, mantendo todas as sensibilidades e regras de design da Edição Revisada. A V20 deu o passo corajoso de ter desenvolvimento aberto, pela primeira vez perguntando aos fãs como eles jogavam e com quais regras eles tinham problemas.

A coleção resultante se encaixa bem dentro da estrutura revisada - por exemplo, usando regras de esquiva de Orpheus, ou usando regras de Disciplina de Idade das Trevas: Vampiro - de modo que este conjunto de regras seria mais propriamente ser o "Revisado-ponto-cinco", com o seu conteúdo 95% compatível ou mais com outros livros revisados.

No entanto, uma vez que o próprio nome admite que esta é uma "edição", pode ser considerada uma "quarta edição" do conjunto de regras do Sistema Storyteller.

Até à data, Vampiro, Lobisomem, Mago, Aparição e Changeling foram publicados como Edições de aniversário de 20 anos, sem previsão do lançamento de nenhum deles para Português. Após a aquisição da White Wolf, a Paradox Interactive anunciou planos para renovar a publicação de livros da White Wolf através de canais de publicação tradicionais, começando com a Quinta Edição de Vampire: The Masquerade.

Outras VariaçõesEditar

Sistemas RelacionadosEditar

referenciasEditar