FANDOM


A Varna dos Quelônios, é uma varna perdida dos Mokolé tartaruga, que já teve muitos nomes. No subcontinente indiano, eles foram chamados Kurmaraja, em homenagem à tartaruga cujo corpo formou as fronteiras do mundo. Na América do Norte, eles eram conhecidos como Kahaila e foram creditados com a criação do mundo.

Visão Geral Editar

Como uma varna, eles se referiam a si como Ao, nomeando-se como um ancião tão grande que seria lembrado nos mitos dos humanos como a tartaruga marinha chinesa que sacrificava suas pernas para sustentar o céu. Apesar de estar espalhado por todo o mundo, o Ao compartilhava uma conexão única com a varna. Isto pode ser porque eles eram a varna mais antiga, ou porque a natureza paciente e contemplativa deles não foi dada a disputas ou divisões. As tartarugas são uma antiga família perfeitamente adaptada ao seu nicho milenar antes da evolução da maioria dos seres vivos da Terra. A maioria dos mitos do mundo sobre as tartarugas os identifica como criadores e preservadores, e isso também era verdade para os Ao. Entre os varna mais longevos, outros Mokolé via o velho Ao como as fontes de vida de Mnesis, os olhos que tinham visto milhares de milhares memórias agora dadas a todos em sonhos. Como os Ao incluem um grande número de tartarugas marinhas, eles tiveram o maior contato com os Rokea - observando o surgimento dos meio tubarões em terra, e emprestando um conjunto extra de dentes e garras quando os Rokea encontram algo que mereça ser destruído. O Ao incluía todos os tipos de quelônios (cágados, jabutis e tartarugas), com as seguintes estatísticas:

For +1, Des –1, Vig +4, Man –4, Fúria 3.

Ao se beneficia da característica Carapaça Blindada (Armored Scales) na forma Suchid, mas só podem se deslocar a metade do valor da sua Forma Hominídea. Tartaruga Ao tem velocidade de natação igual ao deslocamento terrestre da forma Hominídea. Os Mokolé tem sonhos diferentes ao procurarem Mnesis para descobrir o que causou o desaparecimento do Ao. Alguns afirmam que suas próprias naturezas solitárias e secretas condenaram a varna tartaruga. Começando por volta de 540 aC(BCE), outros Mokolé começaram a notar que os números do Ao estava caindo. Quando perguntado sobre isso, no entanto, o Ao desconversaria ou, se pressionado, simplesmente se recusaria a responder. A varna tartaruga tornou-se cada vez mais rara até que, no começo do primeiro século (CE), eles haviam desaparecido completamente. Alguns Mokolé atribuem causas sinistras ao desaparecimento dos Ao, enquanto outros acreditam que ele faça parte do ciclo natural, e que os Ao surgirão novamente se a hora certa chegar. Alguns meiodinosauros acreditam que os Ao não foram condenados porque não morreram. Eles apontam para a falta sinais de desânimo ou luta, e dizem que os Ao não sucumbiram, mas foram chamados para a Umbra para servir a Gaia com alguma capacidade desconhecida. Talvez a varna de Mokolé mais conhecida como de preservadores e criadores tenham antevido o Apocalipse anos antes de qualquer outro e se retirado para um reino Umbral de onde eles podem resistir à tempestade e retornar no momento da necessidade mais desesperada da Terra.

Referências Editar

O conteúdo da comunidade está disponível sob CC-BY-SA salvo indicação em contrário.